Forma incorreta de tratar queimaduras pode agravar a dor e a lesão

17 jun 2015

Nessa época de festas juninas, os hospitais registram um aumento considerável de pessoas que dão entrada em suas emergências vítimas de queimaduras, a maioria delas provocadas por fogos de artifício e fogueiras. Em muitos casos, as lesões se agravam por causa da forma incorreta de realizar os primeiros socorros.

QUEIMADURAS

O médico intensivista do Hospital Santa Efigênia de Caruaru (PE), Dr. Adalberto de Lima, explica que não se deve passar creme dental, manteiga, óleo ou qualquer outra substância no local. Segundo ele, essas substâncias terão de ser removidas depois e esse procedimento vai trazer ainda mais incômodo. “A única coisa que se deve colocar na queimadura é água corrente e fria e, em seguida, levar o paciente para o hospital. A água vai ajudar a aliviar a dor e não agravará o ferimento”, orienta.

O médico afirma que a maioria das pessoas acidentadas lesiona o rosto e as mãos. “Às vezes, você acende uma bomba ou qualquer outro tipo de artefato e ele explode antes do previsto. Também tem os casos das fogueiras. Algumas pessoas brincam de pular ou pisa achando que já está apagada quando, na verdade, ela esconde brasas embaixo das cinzas”, diz.

As queimaduras são classificadas em quatro tipos:

1º grau – quando o ferimento é superficial e deixa apele ardendo e avermelhada

2º grau – quando forma bolhas no dia seguinte e é mais dolorosa

3º grau – quando atravessa a pele e mata tecidos

4º grau – quando provoca carbonização